Colmeia dos Livros

Resenha: Sangue Quente, de Isaac Marion

sábado, março 23, 2013 Conrado Dittrich 2 Comentários

Título original: Warm Bodies
Série: Em breve
Autor: Isaac Marion
Número de Páginas: 256
Editora: LeYa Brasil
Tradução: Cassius Medauar
Sinopse: R é um jovem vivendo uma crise existencial – ele é um zumbi. Após vivenciar as memórias de um adolescente enquanto devorava seu cérebro, R faz uma escolha inesperada, que começa com uma relação tensa, desajeitada e estranhamente doce com a namorada de sua vítima. Julie é uma explosão de cores na paisagem triste e cinzenta que envolve a “vida” de R e sua decisão de protegê-la irá transformar não só ele, mas também seus companheiros mortos- vivos, e talvez o mundo inteiro. Assustador, engraçado e surpreendentemente comovente, Sangue Quente fala sobre estar vivo, estando morto, e a tênue linha que os separa.

[Pode conter alguns detalhes sobre a trama]
Começo a resenha, anunciando que assisti ao filme antes de ler o livro. Me apaixonei pela trama logo de início, quando anunciaram a adaptação para os cinemas e não sosseguei até ter o livro em mãos. Achei muito interessante a maneira como o autor lidou com os tão conhecidos Zumbis. Pesquisando mais sobre a obra, achei inovador e, lendo o livro, confirmei isso.

No livro, acompanhamos a rotina do zumbi R. Ele, diferente dos outros, raciocina e se sente deslocado no mundo onde vive. Morando em um avião, R coleciona vários objetos que encontra ao sair do aeroporto para procurar comida (cééérebross) - ele tem um ótimo gosto para música. Mas, um dia toda a sua vida mudaria. Comendo o cérebro de Perry, um dos jovens sobreviventes que vivem em um estádio fechado, o zumbi adquiri suas memórias e acaba se apaixonando pela namorada do morto, Julie. À partir daí, ele traça a meta de protegê-la acima de tudo e muita ação e aventura cercam os dois...

Em seu primeiro romance, Isaac Marion vai fundo na trama, com a habilidade promissora de ir fundo nos pensamentos de um ser no qual ninguém ousou fazer. Além de inovadora, a ideia parece estranha de início, mas se torna cada vez mais simples e fácil de "se engolir" durante a leitura. Como descrito na capa, "é impossível não se apaixonar pelo zumbi".

Confesso que, apesar da vida e rotina de R serem muito interessantes e compreensíveis, achei a primeira parte do livro um pouco enfadonha. Claro que era boa e viciante, mas posso culpar à mim, por ter assistido ao filme antes e já ter conhecimento do que aconteceria em vários momentos. Na segunda parte, mais ou menos, não consegui largar o livro. São tantos momentos emocionantes, cheios de aventuras e suspense, que nos fazem sentir angústia e temer pelos personagens.

Marion consegue expor uma bela crítica à sociedade, que se torna cada dia mais vazia e presa à coisas inúteis, sem vida. Mostrando um zumbi querendo voltar à vida e viver tudo o que o ser-humano acaba descartando no apocalipse, é uma ótima maneira de mostrar a nossa realidade e como deixamos de viver coisas boas. É muito inteligente e cheio de detalhes interessantes...

A narração, feita em primeira pessoa - por R -, flui muito bem, rica em detalhes e sem furos extremos. A trama é muito inteligente e aborda temas nunca explorados antes. Com momentos icônicos e até cômicos, Sangue Quente é uma leitura deliciosa, que explora o interior de seus personagens e nos faz pensar durante dias depois de seu fim.

O autor já confirmou que está escrevendo uma sequência para o livro. Já estou mais do que ansioso - ainda mais para saber o que ele vai retratar no livro. =)

NOTA: 

POSTS RELACIONADOS

2 comentários

  1. Pois então, eu tinha altas expectativas para esse livro e me decepcionei tremendamente. Não gostei tanto do R., os devaneios dele foram além do que eu achava necessário. :(
    Infelizmente não foi tudo aquilo.

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Luara...
    Esse é o tipo de livro que ou você odeia, ou você ama. :| No meu caso, eu gostei. :) haha

    Obrigado pelo comentário!
    Beijos.

    ResponderExcluir