Colmeia dos Livros

Cinco motivos para ver A Série Divergente: Insurgente nos cinemas

quinta-feira, março 19, 2015 Conrado Dittrich 0 Comentários

A segunda adaptação da trilogia de Veronica Roth, Divergente, para os cinemas estreia hoje (19/03) e, como já assisti o longa na pré-estreia, posso contar um pouquinho melhor sobre ele. Então, decidi fazer uma lista de motivos pelos quais A Série Divergente: Insurgente deve ser assistido. Confira:


Kate Winslet, Octavia Spencer e Naomi Watts
Qualquer filme que conte com esses nomes deveria ser visto, não é? Afinal, Kate Winslet é um grande nome que, não só pelo sucesso de Titanic, é uma das maiores estrelas do cinema por sua habilidade inegável de atuação. Em Divergente (2014), Winslet interpretou sua primeira vilã e na sequência mostra todo o seu poder e obsessão ao caçar todos os divergentes na Chicago futurista. Imperdível! Por outro lado, temos uma grande [e fofinha] atuação de Octavia Spencer, que interpreta a líder da Amizade e, lógico, tem a serenidade da sua facção. Confesso que não gostei muito da escolha, por ser bem diferente da Johanna que conhecemos no livro - mas é impossível odiar uma personagem com a delicadeza e maestria de Spencer. Interpretando a líder dos sem-facção, Naomi Watts surge poderosa, autoritária - quase perfeita - no papel de Evelyn. Seu tempo em cena é curto, mas é o bastante para apresentar a força e astúcia da personagem, que surge digna com a ótima Naomi Watts. Minha espera para vê-la no filme valeu a pena [Já estou extremamente ansioso para vê-la em Convergente - Parte 1.]


Romance
Tem romance sim. E se reclamar, ainda tem dois -(mentira). O romance entre Tris e Quatro está ainda mais forte, agora que eles tem certeza de que se amam. Ao contrário dos livros, porém, esse romance é bem mais presente e rola até cena mais caliente. Mas não há nada de enfadonho, nem de ridículo nisso. Afinal, o casal já era previsto e a união entre eles é um ponto que coloca a gasolina no fogo.

 
Grandes efeitos especiais em IMAX
Confesso que não esperava nada do 3D convertido posteriormente. Dito e feito. A conversão, por muitas vezes, estragou as cenas - tornando-as quase impossíveis de se entender (principalmente nos momentos mais ágeis - como a luta dentro de um trem em movimento). A qualidade digital do filme, porém, está impecável. Com efeitos visuais muito bem trabalhados, somos sugados dentro de uma realidade alternativa muito linda. São vários os momentos em que muros e paredes são quebrados, revelando detritos e partes do cenário com maestria. Tudo isso, na tela grande do IMAX, só melhora o aspecto visual do filme - que está lindo. Vale muito a pena assisti-lo no formato.


Uma distopia ao melhor estilo sci-fi
Divergente é uma trilogia distópica. Hoje em dia, é difícil achar alguém que não goste do estilo, que está tomando o entretenimento. Mas Insurgente, consegue misturas esse tema, com o melhor do sci-fi (ficção-científica). Diferente do ótimo Jogos Vorazes, este traz uma cidade futurista com elementos beeem futuristas - como telões em pixels nos edifícios e muros da cidade, comerciais exibidos em telões ultra-inovadores e, claro, as pesquisas ~e soros~ desenvolvidos pela Erudição. Esse mundo criado por Veronica Roth e, sabiamente transmitido pelo diretor Robert Schwentke, é tão intenso e desafiador, que seria impossível não elogia-lo. As cenas das simulações são belíssimas e trazem um frescor à franquia. Os produtores tiveram uma sacada muito boa ao mudarem a percurso da franquia. O sci-fi é pouco presente nas distopias atuais e todo mundo gosta.


Shailene Woodley
Sim. Aquela jovem atriz, que vem ganhando Hollywood e o mundo, é o maior motivo para ver Insurgente. Poucas palavras conseguem determinar o quão boa foi sua atuação e "impecável" é o melhor termo que achei para descrevê-la. Shailene Woodley não só convence como uma grande heroína de ação (onde mostra uma capacidade incrível de parecer convincente nas cenas de ação), como também traz uma Tris com uma grande vulnerabilidade emocional. É nesse ponto, que Woodley se sobressai de outras grandes atrizes de filmes juvenis. Ela balanceia a força de uma lutadora, com o emocional de uma garota cansada e mentalmente abalada. Dois grandes exemplos disso: 1) Tris nas simulações é uma habilidosa saltadora e lutadora - mostrando habilidades incríveis. Mesmo assim, exibe um certo cansaço em seu semblante. 2) Tris sofrendo quando luta contra um soro da verdade e é obrigada a contar alguns de seus segredos publicamente. Essa cena, SIM, mostra uma atriz DE VERDADE, expondo uma emoção descomunal. Impossível não se emocionar com aquilo que vemos. Shailene Woodley está fantástica no filme e merece ser vista.

:: Acompanhe todas as novidades sobre este e outros lançamentos no Cine 3D Brasil

A Série Divergente: Insurgente, afinal, traz um espetáculo visual e emocional. Tem cenas emocionantes e cheias de adrenalina. Uma dica para os fãs dos livros é: vá ao cinema com a mente aberta, pois as modificações são várias - o que, mesmo assim, resultou num ótimo filme. Antes de tudo, devemos lembrar que é uma adaptação e que cinema e literatura são formas de arte que trilham o mesmo caminho, mas nunca caminham juntas. Mudanças muitas vezes são necessárias...

POSTS RELACIONADOS

0 comentários